Asa de avião

Ano novo

“A diferença entre o que queremos e o que tememos é do tamanho de um cílio”, a frase, do excelente filme “O exótico Hotel Marigold 2”, me fez pensar sobre a linha tênue entre nossos sonhos e medos, e me lembrou um texto que gosto muito de Rubem Alves, onde ele diz que para voar…

Globo de neve escrito "Jordan" na base

Saudade

Quando eu embarquei nessa viagem, há um mês, estava apreensiva para saber o que mudaria em mim. Hoje, a poucos minutos do meu voo de volta para o Brasil, vejo que ainda é cedo para avaliar os efeitos de tudo o que vi e vivi nesse período.

Banho turco, na Turquia

Primeira vez

Tigelas de água quente sobre os meus ombros nus, água quase fria sobre os meus pés, a senhora com sorriso e olhar amigáveis enrola uma toalha na minha cintura e me conduz até uma sala ampla, toda branca e com duas pias e torneiras douradas em cada uma das suas cinco pontas. Sem dizer uma…

Visão de dentro de uma mesquita, abóbodas muito altas e lustres pedurados desde o teto até próximo ao chão

Sobre-viver-à-beleza

As ruas me lembram Paris e também Lisboa, com seus cafés charmosos e gatos nas esquinas. Porém, ao ver os doces árabes nas vitrines e ouvir o chamado para a reza, ecoando nas torres das mesquitas, tenho certeza que estou no Oriente Médio. Istambul é tão grandiosa, que não cabe em um único continente, região…

Roda gigante e moinho de vento clássico

Alerta mundial sobre o risco de viagem

Não viaje, permaneça em casa consumindo emoções artificiais, através da sua TV ou Smartphone, alimentando a sua falsa sensação de controle e segurança. Enquanto isso, nós decidimos por você quem e quantos devem morrer nessa guerra. Não viaje, não corra o risco de sentir empatia e, ao se colocar no lugar do outro, perceber que…

Parquinho superlotado com dezenas de crianças agasalhadas em roupas simples, velhas e sujas

As Crianças

Cercas, barracas, esgoto a céu aberto, banheiro limitado, sofrimento compartilhado, fome, sono, sede, medo, ausência de horizontes… E uma criança no meio, que representa milhares de tantas outras. Não há petróleo no mundo que pague seus dias vazios. Não há política internacional que explique a violência como rotina. Nas guerras sobram bombas e falta razão.…

Meninas com uniforme escolar e cabelos à mostra

O futuro das meninas

Ao entrar na casa de dois cômodos, me deparo com um senhor deitado em um dos colchonetes que cobrem o chão. Ele não fala, não se movimenta e apenas observa uma TV pequena de tubo, onde milícias formadas exclusivamente por homens mostram seus armamentos, atiram no horizonte e concedem entrevistas em árabe. Sua esposa, coberta…

Visão ampla do mirante de Duhok, Curdistão Iraquiano

Curdistão

Há mulheres guerreiras no meio do Oriente Médio, que lutam na linha de frente contra o Estado Islâmico e têm os mesmos direitos que os homens. Ao ouvir isso, boa parte das pessoas me olha com surpresa. Na verdade, a maioria se quer sabe da existência dos curdos, povo que se concentra principalmente no norte…

Talita entregando balões para refugiados no Curdistão Iraquiano

O balão

Era só eu começar a soprar, para brotar crianças ao meu redor, duas, três, seis… Mas hoje, pela primeira vez, surgiu também uma senhorinha, com seu sorriso e olhos infantis, pedindo uma bexiga. Achei que era para um neto, mas logo percebi que não, ela só queria brincar. E aquilo me fez pensar quanto amor…

Corredor apertado entre 2 fileiras de barracas de refugiados, com um filete de água suja passando bem no meio

Lar

“Era uma casa muito engraçada, não tinha teto, não tinha nada…”, lembro da canção infantil ao pensar na situação de muitos refugiados sírios e iraquianos, desde àqueles que podem pagar um aluguel, mas não conseguem comprar móveis, até os que vivem em barracas improvisadas. Na verdade, não há nada de engraçado em um lugar onde…