Blogagem Coletiva Great Britain Rocks: Blackbird fly

cavern-club-bf4e

All your life/You were only waiting for the moment to be free.” É impossível não lembrar deste verso ao planejar uma viagem ou chegar ao aeroporto. Viajar é uma forma de se entregar à liberdade, ao novo, ao diferente, a um sonho – sempre mais surpreendente do que aquele traçado no roteiro. Por isso, os Beatles estão sempre presentes em minhas trilhas sonoras de viagem, para lembrar que, mesmo com asas ou coração partido, é preciso aprender e reaprender a voar, e nenhum cenário é mais inspirador para isso do que entre as nuvens, rumo ao desconhecido.

Confesso, porém, que eu voo para novos destinos antes mesmo de comprar as passagens, e me delicio imaginando seus sabores, cores, sons… E isso é sempre motivado por alguma referência do lugar, o trecho de um livro, um filme ou música… Os Beatles, por exemplo, me levam à Liverpool, a vizinha enSolarada de Londres – que na minha cabeça é cinza e densa, mas isso não chega a ser um problema para quem vive e ama São Paulo. A terra de Paul, John, George e Ringo é embalada só por violão e pelo canto de melros-preto. Com poucas notas e em um ritmo transgressor, ditado pelo tempo do rio Mersey.

Em Liverpool, eu me perco entre museus, que contam desde a rica história da navegação inglesa até a meteórica carreira de seus filhos mais ilustres, visito lojas de discos e sebos antigos, só para me apaixonar em meio a espirros, ando exaustivamente entre galpões e galerias de arte, descobrindo nos muros novos artistas em stencils e graffitis. Nada me para, a não ser a possibilidade de experimentar a melhor torta de carne ou de queijo com nozes a cada nova esquina.

Minhas noites na terra dos Beatles – sim, porque a viagem imaginária é sempre completa -, são regadas por diversas cervejas em pubs, com direito a fish and chips e jogo do Liverpool contra o Everton, um clássico imperdível para quem é apaixonada por futebol, como eu. Quando me dou conta, estou observando os livebirds do Royal Liver Building, símbolos da cidade e de sua natureza indomável, e pensando que talvez seja a hora de partir para novos voos, afinal, Paul canta baixinho em meu ouvido  “All your life/You were only waiting for this moment to arise“…

Este texto faz parte da blogagem coletiva Visit Britain “Great Britain Rocks: O som que me faz viajar”. Os posts, baseados em sonhos ou lembranças, mostram a influência da música quando decidimos por a mochila nas costas e explorar lugares. Leia mais viagens musicais no blog da Visit Britain.

Capa do ebook Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio Clique aqui e conheça o livro Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio

Neste livro, a jornalista Talita Ribeiro conta histórias que viveu e ouviu durante as semanas que passou entre refugiados de guerra na Jordânia e no Curdistão Iraquiano. Em paralelo, a autora dá dicas turísticas dos locais que visitou e apresenta um passo a passo de como embarcar em uma viagem em que o foco são as pessoas, e não os lugares. “Refugiados no Oriente Médio” é o primeiro livro da coleção “Turismo de Empatia”, que nasce de questionamentos e curiosidades tão fortes que nos fazem sair da zona de conforto e entrar em um lugar desconhecido e sagrado: o coração do outro.

2 comentários sobre “Blogagem Coletiva Great Britain Rocks: Blackbird fly

  1. Pingback: O som que me faz viajar | Viagem ao Reino Unido

  2. Adorei o post *-* sou apaixonada pela cultura inglesa, e pelo futebol. Sou torcedora do Liverpool e sempre me emociono ao ver os torcedores (inclusive, a mim) cantar o YNWA *-* e fã dos Beatles <3 kkkkk tudo meu começa e termina em Liverpool <3

    Parabéns!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *