O riso é universal

Homem sentado em uma cadeira de bar com a perna esticada pra frente desengonçadamente e um sorriso de bêbado encarando a câmera

Quem nunca? XD

O Catacombs, antigo nigthclub nas docas de Cape Town, foi cenário de cenas tão bizarras quanto familiares no anos 60. Eu não estava lá, claro, mas Billy Monk registrou tudo com sua câmera fotográfica, em um rico acervo que poderia ser chamado de “vergonha alheia” ou, o mais realista, “quem nunca?”.

As pessoas não estão posando em suas fotos, pelo menos, quero crer, não conscientemente. Billy eterniza justamente aquele momento delicado, em que o homem esconde a cara pra não ser fotografado com um travesti, a mulherada mostra os peitos ou a calcinha, o japa canta desesperadamente no microfone, homens e mulheres desabam no colo de amigos, senhores soltam a franga…

Três pessoas completamente bêbadas, uma delas escondendo o rosto

Quem nunca 2?! XD

Sinto falta de algo que não vivi ou que evitava viver“, oh wait… Não é bem isso. Mas vendo a exposição no Museu de Arte Moderna de San Francisco, senti uma pontinha de inveja das noites loucas do Catacombs. E não contive as gargalhadas ao pensar em todos os antes e depois das fotos. Da ressaquinha dos personagens, do susto ao acordar com um estranho(a) na cama, da amnésia alcoolica, das músicas, do clima abafado e cheirando a maresia e a cigarro.

O segurança da sala, um senhor negro e muito elegante, ao ouvir a incontida gargalhada, foi andando em minha direção. Eu bem que tentei freiar o riso, mas a imaginação, sorrateira, não parava de criar boas histórias.

Interior do museu SF MOMA, com arquitetura belíssima

TOP5 Museus Lindos no Mundo. I love SFMOMA <3

“É bizarro, não é?”, ele me perguntou com sua voz de locutor. O melhor adjetivo era “divertido”. Ele concordou, me perguntou de onde eu era e emendou uma questão: “no Carnaval do Brasil é assim?”.”Sim, só que mais!”, respondi. Compartilhamos uma longa risada, e aquele prédio lindo, com arquitetura deslumbrante, ganhou outros tons, do riso grave do segurança e dos meus “meio agudos, meio abafados” sorrisos.

Capa do ebook Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio Clique aqui e conheça o livro Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio

Neste livro, a jornalista Talita Ribeiro conta histórias que viveu e ouviu durante as semanas que passou entre refugiados de guerra na Jordânia e no Curdistão Iraquiano. Em paralelo, a autora dá dicas turísticas dos locais que visitou e apresenta um passo a passo de como embarcar em uma viagem em que o foco são as pessoas, e não os lugares. “Refugiados no Oriente Médio” é o primeiro livro da coleção “Turismo de Empatia”, que nasce de questionamentos e curiosidades tão fortes que nos fazem sair da zona de conforto e entrar em um lugar desconhecido e sagrado: o coração do outro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *