Primeiras impressões sobre San Francisco

Uma cidade[bb] que tem um carrinho de crème brûlée pelas ruas não pode ser ruim.

Nos mercados não é necessário ler se os produtos têm corantes, a maioria é orgânico e feito através de processos que respeitam a natureza, essa que vivemos, do nosso corpo e dos ingredientes.

O tempo em San Francisco é diferente de Nova York[bb], não só pelo fuso de 3 horas, mas também pelo passo das pessoas que andam pelas ruas e param pra ver, ouvir e ajudar quem está ao lado, mesmo que o outro seja assim, meio desastrado e não fale bem inglês.

Fábrica de pão Boudin, San Francisco, Califórnia, EUA.

Fábrica de pão Boudin

Acho que, por ter uma baía tão ampla, a cidade é mais fluída e recompensa quem encara suas ladeiras com horizontes surpreeendentes. Do alto San Francisco é mais bonita, mas é no baixo que ela pulsa e acontece.

É meio Paris[bb], com seus inúmeros cafés e pequenos restaurantes, meio Buenos Aires[bb], com suas bancas de flores, meio São Paulo, com uma área central triste e censurada para turistas, meio Bariloche[bb], com seu frio úmido e acolhedor… E é essa junção de coisas e pessoas que faz a cidade tão apaixonante.

I S2 San Francisco[bb].

Capa do ebook Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio Clique aqui e conheça o livro Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio

Neste livro, a jornalista Talita Ribeiro conta histórias que viveu e ouviu durante as semanas que passou entre refugiados de guerra na Jordânia e no Curdistão Iraquiano. Em paralelo, a autora dá dicas turísticas dos locais que visitou e apresenta um passo a passo de como embarcar em uma viagem em que o foco são as pessoas, e não os lugares. “Refugiados no Oriente Médio” é o primeiro livro da coleção “Turismo de Empatia”, que nasce de questionamentos e curiosidades tão fortes que nos fazem sair da zona de conforto e entrar em um lugar desconhecido e sagrado: o coração do outro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *