Volta ao Mundo em 4 dicas

5976264120_7476b52226_z

Já imaginou se você pudesse esticar a sua próxima viagem até um novo país? E a outro continente? E se pudesse rodar o mundo? Pois é, você pode, mesmo que não seja no próximo embarque. Conhecer os 5 continentes em uma única viagem é mais barato do que você imagina e, com planejamento, não é só uma realização para Júlio Verne ou para quem tem 80 dias livres. Siga as nossas dicas e planeje já a sua grande aventura:

1) Voar é a forma mais barata de viajar
Quando você quer cruzar os oceanos e vencer grandes distâncias, as tarifas “RTW (Round the Word)” das Alianças de companhias aereas são imbatíveis. Partindo do Brasil, você pode voar com as empresas aéreas que fazem parte da One World, Star Alliance ou Sky Team. Os passes variam, mas  de forma geral dão direito a passar por 10 a 15 países, num período de 10 dias a 1 ano, por um valor médio de US$4.000. Achou caro? Pense que, só para ir de São Paulo para a Tailândia, por exemplo, não sai por menos de US$2.000. Você deve seguir uma única direção, ou seja, leste ou oeste, começar e terminar sua viagem em um mesmo país e reservar os voos antes do embarque, porém, na maioria das alianças, a alteração dos voos é gratuita.

2) Programe-se para ter de US$80 a US$100 por dia
Você e seu acompanhante – sim, esse valor é com base em 2 pessoas – podem  gastar menos ou mais, dependendo dos destinos que escolherem e a forma que decidirem viajar – vivendo como local ou como turista -, esses valores são a base para quem quer conhecer novas culturas sem luxo, mas com o básico: hospedagem, comida, transporte dentro dos países… Em uma viagem de 1 mês, por exemplo, vocês precisam levar de US$2.400 a US$3.000. É claro que, se quiserem fazer uma viagem apenas por destinos como Nova York, Tóquio e Londres, que tem um custo mais elevado, essa conta precisará ser adaptada. Por isso, vale a pena pesquisar sobre os preços nos destinos que  pretende visitar. Índices como o do preço do Big Mac e da Hospedagem pelo mundo podem ajudar ;)

3) Compre moeda estrangeira e escolha um bom cartão pré-pago de viagem
A melhor forma de diminuir o impacto das oscilações do câmbio é comprar a moeda estrangeira em várias partes, de preferência, começando meses antes da viagem, para aproveitar momentos de valorização do real frente a outra moeda. Como você passará por diferentes países, é bom se informar sobre quais moedas são aceitas em cada um e, se possível, dar preferência para o dinheiro local, para não sofrer com as taxas, nem sempre oficiais, de conversão no comércio. Levar muitas notas de diversas moedas não é seguro nem prático, por isso você deve escolher um bom cartão pré-pago de viagem e carregá-lo com a maior parte do dinheiro que pretender levar. O Multi Moeda Fitta Cash Passport é o único no Brasil em que você pode, em um mesmo cartão, carregar 6 tipos de moeda: dólares americanos, canadenses, australianos e neozelandeses , libras esterlinas e euros. Além de utilizá-lo como cartão de débito, sem ter que pagar IOF a cada operação, você pode sacar dinheiro em mais de 200 países e recarregá-lo pela internet, de qualquer lugar do mundo, o que facilita e muito a sua viagem.

4) Fique atento à documentação necessária para cada país
Há muitos lugares onde é possível entrar sem visto ou tirá-lo no aeroporto, porém, os que ainda exigem a emissão no Brasil, como Estados Unidos, Japão e China, merecem atenção especial, já que alguns vistos demoram para ser emitidos. Outra questão que vale a pena se informar é sobre as vacinas obrigatórias para cada país, como a contra Febre Amarela, Malária… Para saber o que os médicos indicam para cada local, consulte o Guia do Viajante feito pela Anvisa.

Gostou? Então compartilhe nos comentários qual é o seu “roteiro dos sonhos” para uma viagem de volta ao mundo :)

Capa do ebook Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio Clique aqui e conheça o livro Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio

Neste livro, a jornalista Talita Ribeiro conta histórias que viveu e ouviu durante as semanas que passou entre refugiados de guerra na Jordânia e no Curdistão Iraquiano. Em paralelo, a autora dá dicas turísticas dos locais que visitou e apresenta um passo a passo de como embarcar em uma viagem em que o foco são as pessoas, e não os lugares. “Refugiados no Oriente Médio” é o primeiro livro da coleção “Turismo de Empatia”, que nasce de questionamentos e curiosidades tão fortes que nos fazem sair da zona de conforto e entrar em um lugar desconhecido e sagrado: o coração do outro.

5 comentários sobre “Volta ao Mundo em 4 dicas

  1. Curti o post. Estou tentando programar uma viagem de 6 meses pelo mundo com minha Talita e gostei das duas dicas sobre o tipo de voo a utilizar e este cartão miltimoedas.

    Parabéns pelo post ;)

  2. Amei suas dicas. Mas não entendi como adquirir essas passagens. Adoraria comprar dessa forma pra passar 3 meses na estrada com toda a minha família.
    bjs

Deixe uma resposta para Gabreil Cancelar resposta para %s

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *