As melhores atrações da Disney

Quase todo mundo sonha em conhecer o castelo da Cinderela, porém, o que pouca gente sabe é que ele não abriga nenhuma grande atração e serve basicamente de pano de fundo para o show de luzes e fogos ao anoitecer – além de ter um tipo de salão de beleza das princesas, que não está incluído no ingresso. Os melhores brinquedos, na minha opinião, não são necessariamente os que têm as maiores filas, mas que guardam um pouquinho de adrenalina sem perder a “magia Disney”. Decidi fazer o meu TOP 3 atrações de cada parque, para ajudar quem ainda está em dúvida sobre o que priorizar.

10298880_10153079910119386_8125789896858681624_nHollywood Studios

1- The Twilight Zone Tower of Terror
Já imaginou despencar em um elevador do 13 andar de um hotel mal assombrado e se divertir com isso? Sim, é possível. E você vai querer repetir e se surpreender ao perceber que o “trajeto” do brinquedo não é o mesmo, nem o número/intensidade de quedas, já que um computador os define de forma aleatória. Não o achei arriscado – só há um cinto de segurança bem simples na atração, que comporta até 21 pessoas por vez -, mas é quase impossível não gritar na primeira queda.

 2 – Rock’n Roller Coaster Starring
Montanha russa no escuro é a minha atração predileta em parques de diversão, porque você aproveita todas as sensações, do looping às descidas radicais, sem ficar tensa com a altura que está subindo ou com as curvas que vêm depois. Acrescente uma boa trilha sonora, com Aerosmith, efeitos de luzes em algumas partes da pista e uma aceleração de 0 a 96 quilômetros por hora em pouco menos de 3 segundos! Sim, essa atração vale até mesmo uma fila de 50 minutos (encarei e não me arrependo).

3 – Fantasmic!
Mickey Mouse comanda o show noturno, com duração de 25 minutos, que só acontece em algumas noites durante a semana, por isso, antes de programar a sua visita ao parque, vale a pena se certificar que ele está incluído na programação, diretamente no site da Disney. Com fogos de artifício, muitas luzes, barcos que passam com personagens e a exibição de cenas clássicas em uma parede formada por jatos de água, é uma das apresentações mais surpreendes e vibrantes. Garanta o seu lugar com o FastPass ou chegue cedo (no mínimo, 40 minutos antes) para garantir o seu lugar.

Epcot
10171162_10153075790294386_6388726273460168422_n

1 – Sum of all Thrills
Ele não aparece na lista de atrações no site da Disney, mas, vai por mim, é um dos brinquedos mais divertidos e interativos do parque. Nele você pode desenhar a sua própria montanha russa, definindo não só o trajeto, como também a velocidade do brinquedo e depois “testar” a sua invenção, em um simulador incrível. É excelente para apresentar um outro tipo de engenharia para as crianças e também para despertar o inventor que existe em cada adulto. Ah! Ele fica dentro do Innoventions.

2 – Soarin
Ver as paisagens da Califórnia é sempre um prazer, inclusive em um simulador de voo de asa delta, que te leva sobre a Golden Gate, em San Francisco, nas plantações de laranja, nos picos nevados de Lake Tahoe, nas belas praias da rota número 1… Sério, é um brinquedo para relaxar e aproveitar o visual, o perfume e a sensação de estar voando. Como as filas são grandes – mais de uma hora de espera -, recomendo que você o escolha para o FastPass. Assim, se sentirá um cliente VIP, que não precisa esperar para embarcar ;)

3 – Mission: SPACE
Se você tem labirintite ou fobia de ficar preso em lugares apertados, pule para o Magic Kingdom, nessa atração você participa de um lançamento espacial, dentro de um foguete que viaja 8 mil milhas em pouco mais de 5 minutos. Sim, você sente uma pressão danada na sua cabeça, mas a sua função é apenas apertar dois botões. De qualquer forma, as sensações do brinquedo valem a possível tonturinha que você sentirá após sair dele.

Magic Kingdom
10312397_10153083614954386_6007027124964688353_n

1- Wishes Nighttime Spectacular
O famoso show de fogos e luzes noturno, merece cada lágrima que inevitavelmente enche os olhos de quem o assiste pela primeira, segunda, terceira vez… Sério, durante 12 minutos você fica tocado pela beleza, pelo sentimento de “sonho realizado” e claro, pelas clássicas canções ao fundo. Quando eu fui, confesso, fiquei com o trilha sonora de Frozen na cabeça por uns bons dias (cante comigo,”let it goooo, let it go…“). Vale a pena se posicionar em um local com boa vista para o castelo da Cinderela, 30 minutos antes dele começar, já que serve de pano de fundo para o espetáculo, .

2- Space Mountain
Montanha russa no escuro, precisa dizer mais? Ela é bem mais tranquila do que a Rock’n Roller Coaster Starring, já que chega a apenas 45 quilômetros por hora e não tem looping. Porém, como foi projetada pelo prórpio Walt Disney, é uma viagem espacial cheia de… magia. Com efeitos de luz e perfeita para ir do início ao fim com os braços pra cima, se sentindo “a” pessoa corajosa. Ele costuma ser um dos brinquedos com mais fila no parque, por isso, vale a pena escolhê-lo para o FastPass.

3- Splash Mountain
Além de ser uma delícia em dias quentes, já que faz você se molhar na medida – sem ficar ensopado -, tem uma das vistas mais bonitas do parque, antes de despencar na descida mais íngreme, com 16 metros de altura. Todo o passeio feito no barquinho é acompanhado por bonecos que cantam músicas caipiras, de 1946. Uma boa para toda a família, mas especialmente para as crianças e pré-adolescentes.

E você, gosta ou quer conhecer quais atrações? Comente! :)

Este post faz parte da ação #partiusmiles, realizada em parceria com o programa Smiles. Para saber como é voar para Orlando com milhas, clique aqui. Todos os textos e imagens publicados são de minha autoria e representam o que eu acho sobre os serviços e experiências. 

Capa do ebook Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio Clique aqui e conheça o livro Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio

Neste livro, a jornalista Talita Ribeiro conta histórias que viveu e ouviu durante as semanas que passou entre refugiados de guerra na Jordânia e no Curdistão Iraquiano. Em paralelo, a autora dá dicas turísticas dos locais que visitou e apresenta um passo a passo de como embarcar em uma viagem em que o foco são as pessoas, e não os lugares. “Refugiados no Oriente Médio” é o primeiro livro da coleção “Turismo de Empatia”, que nasce de questionamentos e curiosidades tão fortes que nos fazem sair da zona de conforto e entrar em um lugar desconhecido e sagrado: o coração do outro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *