Roteiro e dicas de Paris com amor

Primeira chamada para o roteiro Paris com Amor da Tali!

Vários amigos passarão o fim de 2014 e o início de 2015 na cidade luz e me pediram algumas dicas do que fazer e como aproveitar melhor a viagem. Então, decidi unir tudo em um post, para que mais pessoas possam consultar e ser tão feliz em Paris quanto eu fui nas duas vezes que tive o prazer de estar lá, em uma delas, inclusive, fui pedida em casamento <3

57959_464510163372_1785128_nSim, a capital francesa é muuuito romântica e linda. E cheia de atrações, o que é ótimo, já que você pode voltar uma, duas, três vezes e sempre terá várias coisas novas pra ver, pratos deliciosos para experimentar… Chega de enrolar, aqui estão minhas dicas, de 1 até 3 para quem está começando a planejar a viagem, e de 4 até 10 para quem já comprou o pacote/passagens e etc:

1) Viaje de março até junho ou de setembro até novembro
Essa é a dica que eu SEMPRE dou quando escrevo sobre Europa. É possível pagar bem menos (de 30 até 50% mais barato) viajando no outono ou primavera. Claro que é preciso levar em consideração os eventos locais, como o Roland Garros, que em 2015 acontece de 19 de maio até 7 de junho, quando a hospedagem fica mais cara, mas, normalmente, nessas estações  tudo é mais em conta. Para encontrar passagens baratas recomendo o Voopter, que compara as tarifas das companhias aéreas e agências de viagem e te mostra as melhores opções.

Mapa dos distritos de Paris

Mapa dos distritos de Paris

2) Se hospede entre as zonas 1 e 5
Sim, Paris é dividida em zonas, e as cinco primeiras concentram as principais atrações e são muito bem servidas de transporte público. Para se localizar melhor e saber qual bairro fica onde, é só dar uma olhadinha no mapinha ao lado. Eu, normalmente, fico em quartos/apartamentos do Airbnb, cujas diárias são mais baratas, mas se você preferir um hotel, aconselho que consulte os comentários deixados por outros usuários no Trip Advisor antes de escolher.

3) Fique, no mínimo, 1 semana em Paris
Sério, a tentação de combinar a cidade luz com outro destino será grande, porém, se tiver apenas 7 dias, priorize a capital, que tem um monte de programas e passeios incríveis. Só o Louvre te consumirá um dia – para ver um pouquinho de suas atrações, uma ou duas seções, no máximo -, e você, provavelmente, vai querer esticar até o Palácio de Versailles ou a Eurodisney.

4) Na hora de fazer a mala, leve em consideração a previsão do tempo
E dê prioridade para o conforto, principalmente quando for escolher os calçados. É possível ver como estará o clima no período da sua viagem no site Accuweather. Sobre o conforto, ele está diretamente relacionado com a minha próxima dica.

5) Compre um passe de metrô ilimitado
Nesse post do blog A Viagem Certa, há dicas ótimas de como escolher e usar seu ticket. Não é preciso pegar um transfer para ir do aeroporto até o centro da cidade, já que o sistema de trens e metrôs de Paris é incrível e há estação dentro do Charles de Gaulle. Mais do que isso, é possível chegar com o transporte público em todas as atrações bacanas da cidade e o jeito mais rápido e fácil de driblar o trânsito é com o metrô. Com o trem você consegue ir até o Palácio de Versailles e outros locais turísticos fora da capital. “Oh meu Deus, eu ficarei perdido nas inúmeras linhas”. Não vai não, o Google Maps pode te ajudar dando o trajeto perfeito para cada atração que deseja conhecer e há também vários aplicativos com o mapa do metrô de Paris ;)

6) Coloque as atrações, restaurantes e o seu hotel em um Google Maps
Você pode economizar tempo se, antes de embarcar, montar um mapinha da sua viagem. Assim, você define o roteiro com o que fará a cada dia levando em consideração a proximidade entre as atrações que deseja conhecer e também já pode traçar os melhores caminhos para sair do seu hotel e chegar aos locais. Parece trabalhoso? Não é. Ou melhor, é bem menos do que parece. Eu até fiz um com os lugares que sugiro, ó:

7) Visite as atrações que tem a ver com o seu perfil
Eu adoro museu, sério mesmo, acho o máximo ver ao vivo obras que só conhecia por livros, por isso indico:
* Louvre – é IMENSO, impossível conhecer tudo em uma, duas ou sete visitas, então, antes de ir ao museu, dê uma olhadinha nas seções e obras que ele tem em seu acervo e escolha as que deseja ver. Já aviso: a Monalisa é decepcionante, tanto pelo tamanho do quadro, quanto pela muvuca que fica ao redor. Eu gosto muito mais da parte egípcia, com suas múmias, e a de esculturas italianas.
* Museu Rodin – meu favorito, porque eu amo esculturas e jardins e lá há os dois, além de um Pensador com vista para o Topo da Torre Eiffel. E a Porta do Inferno. E rosas enormes na primavera. É pequeno, mas imperdível!
* Museu d’Orsay – Também é um museu de arte, dentro de uma antiga e belíssima estação de trem adaptada. Vale pela arquitetura, pelas obras e pela lojinha <3
* Museu des Invalides – para quem gosta de história, principalmente de guerra, e de armas, esse é um prato cheio, já que guarda desde armaduras do século 13 e utensílios de soldados dos mais diversos países até aviões utilizados em combates. Além disso, do ladinho dele está a tumba de Napoleão, na belíssima Catedral Saint-Louis. Esse é, sem dúvida, o programa preferido do meu marido na capital francesa.

47306_464508378372_7287863_nAs igrejas em Paris também são um programão, quase obrigatórias, principalmente se você gosta de filmes, ó:
* Notre Dame – serviu de cenário para o clássico O Corcunda de Notre Dame e guarda vitrais lindos, assim como uma bela vista da cidade, isso é, se você estiver disposto a subir vários degraus (eu recomendo).
* Sacré-Cœur – é impossível não olhar pra ela e lembrar de “O fabuloso destino de Amelie Poulain”. Eu nem acho o interior da igreja tão interessante, mas a vista da sua escadaria, o carrossel e a fachada branquinha são tão lindos. A ladeira em frente a igreja tem uma lojinha de biscoitos/doces que vende latinhas super charmosas também, vale a pena procurar ;)

Há pontos turísticos que também são obrigatórios:
Torre Eiffel – Ela é grandiosa, bem mais que a estátua da liberdade em NY e tão impressionante quanto o Coliseu, na minha opinião, porém, eu nunca tive vontade de encarar a subida dela. Para ver Paris de cima, inclusive com a torre ao fundo, eu prefiro subir na Torre Montparnasse, que tem um terraço a mais de 200 metros de altura. Recomendo que você faça um piquenique no jardim próximo à torre e veja o entardecer na Praça do Trocadero, com ela ao fundo, de preferência, até que suas luzes “pisca-pisca” sejam acesas.Eiffel
Arco do Triunfo e Champs Elysees – A avenida com as lojas mais elegantes de Paris é um clássico, que pode ser percorrida a pé, de táxi ou naqueles ônibus vermelhos de City Tour, sabe? Eu tinha preconceito com eles, mas da última vez que fui à Paris e levei meus pais, nós pegamos o ônibus da Cityrama no primeiro dia da viagem e eu achei ótimo, porque você passa na frente das principais atrações e consegue ter uma noção melhor das distâncias e também do conjunto arquitetônico.
As pontes – eu fui pedida em casamento na Pont Neuf, então, pra mim, ela é a mais bonita ever, mas existem várias pontes bacanas para atravessar. A mais famosa, a ponte das artes, era destino certo para os casais apaixonados que queriam “trancar seu amor” com um cadeado, mas esse estranho costume foi proibido pela prefeitura, que agora incentiva que os enamorados tirem apenas “selfies” nesse local.

Outros locais turísticos que eu não fui ainda, mas que todos os guias indicam: Ópera e Galeries Lafayette.

8) Prepare-se para comer muito bem
* Compre baguete às 18h e a coma quentinha pura ou recheada com um dos muitos queijos incríveis que você pode encontrar nos supermercados e vendinhas. Ah! as baguetes do Eric Kaiser são beeem famosas e gostosas!
* Coma a creme brule do L’Étoile de Montmartre, feita com baunilha de Madagascar, foi a melhor que eu já experimentei na minha vida, com casquinha crocante na medida e suuuper cremosa.
* Experimente os sorvetes em forma de flor da Amorino. Principalmente os de Pistache e Amarena, que são divinos. O bom é que há sorveterias dessa marca em vários pontos da cidade :)
* As madaleines do Fauchon são bem famosas e vendidas em 8 sabores na… Place Madeleine :P
* Um clássico de Paris são os macarrons da Maison Laudrée, cujas cores, tenho impressão, são inspiradas nos quadros de Renoir. Eu gosto muito das tortinhas com framboesa de lá também.
* No almoço, os restaurantes tem as famosas “Formules”, que são como o Menu Executivo aqui do Brasil, onde você pode comer um prato principal com entrada e/ou sobremesa por um preço fixo e mais barato do que os praticados no jantar. Por isso, eu sempre opto por almoçar fora e jantar “piquenique” para economizar.
* Vale a pena experimentar: pato, escargots (é menos nojento do que parece), foie gras, embutidos franceses e de outros países europeus, entrecote com fritas, queijos, framboesas, morangos, cerejas, crepe (de nutella, pra ser bem clichê). No Le Bon Marché, mercado mais chique de Paris, você encontra vários produtos típicos. Inclusive, dá para almoçar lá também :)
* A mousse de chocolate do Chocolat Chapon vale a visita também. Falando em chocolate, há quem diga que o servido quente no Café Angelina é o melhor do mundo – eu discordo, porque prefiro o da Sprungli, em Zurique, mas esse é inegavelmente gostoso e fica bem pertinho do Louvre.
* Os famosos croissants são (ainda) mais saborosos no Pierre Hermé, que compete com a Ladurée no quesito macarrons e doces lindo de comer.

9) Assista filmes gravados em Paris
Sério, a sensação de reconhecer cenários pelo mundo é muuuito prazerosa, e poucas cidades são tão cinematograficas quanto a capital parisiense. Eu, por exemplo, realizei um sonho ao correr na sala do Louvre que tem a Vênus de Milo, como no filme “Os Sonhadores” – não repita isso ou você pode ser expulso do museu, eu não fui, mas acho bom avisar -, visitei o café onde Amélie Poulain “trabalhava” e até comprei framboesas na banquinha de frutas na “esquina de sua casa”, também vi uma das fontes de “Os Incompreendidos“, dancei na beira do rio Sena… O filme “Meia noite em Paris” ou “Paris eu te amo” são ótimos “aperitivos”, mas vale a pena buscar outros títulos menos óbvios também.

58898_464508503372_5452219_n10) Não tenha medo de ser clichê
Se emocionar ao ver a Torre Eiffel é super compreensivo, assim como tentar tirar uma foto em que parece que você a está segurando com uma mão. Ir para o Louvre atrás da Monalisa não tem problema, basta que você não feche os olhos para as obras belíssimas que estão nos corredores que te levam até ela. O passeio de barco pelo Sena pode ser chato para viajantes como eu, que se entediam fácil, mas inesquecível para quem gosta de programas mais contemplativos. E fazer juras de amor eterno nas pontes está liberado também ;)

Ufa! Se você chegou até aqui, obrigada! Que tal deixar sua dica ou comentário? :)

Capa do ebook Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio Clique aqui e conheça o livro Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio

Neste livro, a jornalista Talita Ribeiro conta histórias que viveu e ouviu durante as semanas que passou entre refugiados de guerra na Jordânia e no Curdistão Iraquiano. Em paralelo, a autora dá dicas turísticas dos locais que visitou e apresenta um passo a passo de como embarcar em uma viagem em que o foco são as pessoas, e não os lugares. “Refugiados no Oriente Médio” é o primeiro livro da coleção “Turismo de Empatia”, que nasce de questionamentos e curiosidades tão fortes que nos fazem sair da zona de conforto e entrar em um lugar desconhecido e sagrado: o coração do outro.

9 comentários sobre “Roteiro e dicas de Paris com amor

  1. Amei seu post Talita!! Foi o melhor q ja li ate hj. Parabéns e obrigada por dividir conosco suas experiências. Fiquei com mais coragem de me aventurar agora. Com certeza vou levar suas dicas. Um gde bj!

  2. Adorei seu Post!
    Me diverti muito com a forma que você fez referência aos lugares e com certeza me ajudou muito a decidir os lugares que quero conhecer.
    Irei a Paris em lua de mel!!!

    Obrigado

  3. Como sou pós graduado em história, quando lá estiver, gostaria de visitar o cemitério de Paris. Lá estão os túmulos dos líderes da Revolução Francesa, Allan Kardec, Victor Hugo, etc

  4. Melhor ate o momento….PARABÉNS!! Estou na duvida quanto a forma mais econômica para usar transporte publico. Chego em Paris no domingo, na terça sigo pra Amsterdam, depois Bruxelas, depois volto a Paris (chegaremos sábado) e fico por mais 6 dias.

Deixe uma resposta para Ana Paula Cancelar resposta para %s

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *