Copan – Fim de semana no Centro de São Paulo!

Como é viver no Copan, uma obra de arte assinada por Oscar Niemeyer, bem no Centro de São Paulo? Como é compartilhar um prédio com mais de duas mil pessoas, dos mais diversos perfis, além de contar com excelentes cafés e restaurantes na “porta de casa”? E ver a cidade do alto do 32 andar, com direito a uma janela infinita, que te permite acompanhar ela nascer e (quase) dormir?

Pensando nestas perguntas, decidi realizar um sonho de adolescência e passar uma semana no Copan, prédio clássico do centro de São Paulo, onde existem mais de 1.000 apartamentos, espalhados por 120 mil metros quadrados, na “onda” sonhada pelo arquiteto brasileiro mais famoso. Afinal, quem disse que São Paulo não tem mar?

Para isso, fiz uma boa pesquisa no Airbnb, analisando as melhores opções do e selecionando dois apartamentos, com base na vista da cidade e também estrutura do quarto.

Vista do Room 3201 no Copan

Vista do Room 3201 no Copan

O meu preferido desde o primeiro momento foi o Room 3201. Mesmo com as expectativas altas, eu me emocionei profundamente ao entrar nele e dar de cara com essa vista, no último andar do prédio, rodeada por uma decoração minimalista e respeitosa com o espaço.

Só uma cama de casal com lençóis, travesseiros e edredom excelentes, um banquinho e uma mesa feitos com tacos do Copan, um ventilador retrô, uma estante de livros, feita de ferro e vidro, que serve também de parede para o banheiro, onde só há um chuveiro e um vaso, generosamente iluminados pela janelona ampliada por espelhos, nos dois lados do quarto.

Decoração minimalista do Room 3201 no Copan

Decoração minimalista do Room 3201 no Copan

Tudo é luz
A menos que a noite você queira fechar a janela com os espelhos e dormir em meio a quase completa escuridão. Confesso que eu não tive coragem de fazer isso nos dias que vivi lá. Era um prazer dormir vendo as luzinhas desfocadas no infinito e acordar com o sol nascendo atrás do Banespão, colorindo a Sé, a prefeitura e até mesmo as torres da Paulista ao longe.

Amanhecer maravilhoso no Room 3201 no Copan

Amanhecer maravilhoso no Room 3201 no Copan

Fiquei sozinha boa parte do tempo, mas quando recebi as amigas, percebi que a paixão que sentia pelo espaço era compartilhada. Ao postar fotos nas minhas redes sociais, muitas pessoas pediram indicação, por isso decidi escrever este post e contar um pouquinho da minha experiência  no Copan.

A ideia inicial era passar apenas três dias nesse apartamento e o mesmo tempo no 2811, com decoração bem mais simples, mini-cozinha, banheiro, uma cama de casal e outra de solteiro, cadeira linda para descansar e uma mesinha e cadeira para trabalhar, além de TV – que nunca liguei. O segundo espaço era ideal para ficar com mais duas amigas ou em uma família pequena e tinha uma vista bacana da cidade também.

Porém, o Room 3201 era tão incrível, que decidi esticar mais duas noites por lá, até o dia de voltar para Nova York. E foi uma decisão muito acertada, já que me permitiu fazer ensaios fotográficos lindos com duas amigas fotógrafas, que depois disso colocaram esse espaço como uma opção para seus clientes que desejam retratos diferentes na cidade. Veja abaixo algumas fotos:

Ensaio com a Juliana Buosi, da UMA Foto:

Ensaio com a Ana Cariane:

Eu pretendo voltar em breve com o meu marido, porque achei o apartamento perfeito para um final de semana romântico, mais que isso, sempre que ficar sozinha em São Paulo, sem dúvidas, vou priorizar esse local no Copan, que faz com que você se reapaixone pela cidade e sinta paz, mesmo em meio ao caos.

A localização também é um diferencial importante, já que ele está pertinho do metrô República, que conta com ótima conexão para outras atrações legais, através das linhas amarela e vermelha. A pé você consegue chegar em excelentes restaurantes, como o da Dona Onça e o La Central, no próprio Copan, a Casa do Porco Bar, o Estadão, o Paribar

Sanduíche de pernil do Estadão

Sanduíche de pernil do Estadão

E conta também com ótimos cafés próximos, como o descolado Por um Punhado de de Dólares, o Takko e claro a padoca Santa Efigênia, que serve deliciosos sonhos – mas só a partir das 12h! – e o clássico pão na chapa, que vale a pena experimentar com requeijão.

Dá para ir ao Theatro Municipal a pé também, mas a noite, para evitar correr qualquer risco, recomendo que você use táxi, Uber ou Cabify. De dia dá para conhecer vários espaços culturais andando, fiz um roteirinho que dá para conferir mo Passagens Imperdíveis.

Como eu gosto de bater perna, fui a pé também para o Bairro da Liberdade, mas, de novo, depois de escurecer, acho importante se locomover com mais cautela. Porque, apesar de eu não achar o Centro super perigoso, sei que há algumas áreas e horários mais complicados. Mas isso não é motivo para ficar com medo ou evitar essa região, só para se planejar melhor mesmo.

Das poesias do centro de São Paulo #cidadelinda

Das poesias do centro de São Paulo #cidadelinda

Eu fiquei sozinha, andei um bocado e não tive nenhuma experiência ruim ou momento em que me senti ameaçada.

Do ladinho do Copan está outro clássico paulistano, o Terraço Itália, que eu, particularmente, acho beeeem superestimado. A vista é linda – mas você pode encontrar isso no seu quarto no Copan, lembra? -, e os preços me pareceram muito salgados, levando em consideração os pratos que eles servem e a qualidade da comida.

Sinceramente, para um jantar romântico e realmente gostoso, indico o Jiquitaia, meu restaurante brasileiro predileto na cidade, com preço bem justo (R$ 75 por pessoa) que inclui entrada, prato principal e sobremesa. No almoço o menu sai por R$ 55!

Tudo que eu já experimentei no Jiquitaia era muito bom, em especial o arroz de pato e os peixes de água doce. Ele não tem frescura, mas o ambiente é bem acolhedor, a trilha sonora é agradável e ele está a poucos minutos de carro do Centro, subindo a Augusta.

Augusta, graças a Deus, é onde você encontra muitos restaurantes mais baratos – eu adoro a La Sabrosa, taqueria mexicana de verdade, e o vegetariano/indiano Gopala Hari. Há também opções de bares e baladas, mas como tô bem tiazinha velha, não vou me arriscar a indicar nenhum, porque confesso que a noite eu prefiro ficar quietinha, só comendo mesmo :P

Outro passeio legal para fazer no seu final de semana no Copan é pela Avenida Paulista, já que ele está a uma estação dela, pela linha amarela. Dá para começar o tour tomando um café da manhã mais preguiçoso – depois das 10h – no Mirante 9 de Julho, que fica atrás do MASP e conta com bebidas e comidinhas muito gostosas, além de um ambiente que é um dos novos cartões postais da cidade.

De lá dá para seguir para o Museu de Arte de São Paulo, para a Livraria Cultura do Conjunto Nacional, para um dos cinemas mais alternativos da região (como o Itaú, CineSesc e Caixa Belas Artes), experimentar os doces deliciosos e bem equilibrados da Sweet Deli ou apenas bater perna mesmo, ainda mais se for domingo, quando a avenida é fechada para os carros!

O que não faltam são bons motivos para você turistar, mesmo que more em São Paulo. Sério mesmo, viajar dentro da sua própria cidade pode ser um programão e te ajudar a driblar a escassez de feriados ou dinheiro a partir de agora.

As amigas piram no Copan

As amigas piram no Copan

Quanto custa a diária no Copan?
Depende do período da sua viagem. Mas entrando nesta lista que eu fiz especialmente para esse post, você pode ver algumas opções. Por cinco noites no Room 3201, paguei R$ 1.318 (R$ 219 por noite + taxas de limpeza e serviço),  e mais R$ 616 por três noites no 2811 (R$ 153 por noite + R$ 158 de taxas de limpeza e serviço).

Estes valores foram descontados dos créditos que tenho na plataforma e que ganho cada vez que alguém se cadastra através do meu link e fecha uma reserva.

Por isso, se gostou deste post e quer que eu continue descobrindo e compartilhando lugares incríveis pelo mundo, pode me ajudar apenas se cadastrando no Airbnb por esse link aqui. E você ainda ganha desconto em sua primeira reserva! :)

E se for passar mais tempo pelo Copan, recomendo que visite também o Conceição Discos, onde há o melhor pão de queijo recheado com pernil da cidade, o Rinconcito Peruano e seus ceviches justos e gostosos, a Casa Mathilde com seus doces portugueses, a Casa Godinho com suas empadas, a 25 de Março e o caos na terra…

Para facilitar, tem mapinha com meus lugares favoritos no Centro. De nada ;)

Capa do ebook Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio Clique aqui e conheça o livro Turismo de Empatia: Refugiados no Oriente Médio

Neste livro, a jornalista Talita Ribeiro conta histórias que viveu e ouviu durante as semanas que passou entre refugiados de guerra na Jordânia e no Curdistão Iraquiano. Em paralelo, a autora dá dicas turísticas dos locais que visitou e apresenta um passo a passo de como embarcar em uma viagem em que o foco são as pessoas, e não os lugares. “Refugiados no Oriente Médio” é o primeiro livro da coleção “Turismo de Empatia”, que nasce de questionamentos e curiosidades tão fortes que nos fazem sair da zona de conforto e entrar em um lugar desconhecido e sagrado: o coração do outro.

2 comentários sobre “Copan – Fim de semana no Centro de São Paulo!

  1. Show, já tinha curtido no insta. Compromisso meu :) ate o final do ano eu tenho que ficar nesse 3201 pra tirar uma fotos, sensacional.

    Eu recomendaria como atrações bem proximas o http://www.holyburger.com.br que além de um ótimo burger, tem um pudim fantástico, fica beeem pertinho do Copan

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *