Pés da Talita sobre uma calçada escrito "Jack Kerouac"

Girls’ Day

Só quem já morreu de vergonha de falar um “nice to meet you, too” sabe o quão emocionante é conseguir se comunicar em inglês. Através de SMS, e-mail, telefone, mas principalmente ao vivo. Olho no olho, com alguém nativo, que conversa rápido e utiliza diversas expressões que não são ensinadas na aula de vocabulário. Senti…

Muito além do turismo esportivo

“Defense! Defense“, um bar inteiro gritava e aplaudia na esperança de que os jogadores do 49ers, de San Francisco, utilizassem o seu ponto forte para virar um jogo que estava quase perdido. E o grito de guerra parece ter ajudado, em pouco mais de 10 minutos o time vermelho partiu pra cima do time branco…

O riso é universal

O Catacombs, antigo nigthclub nas docas de Cape Town, foi cenário de cenas tão bizarras quanto familiares no anos 60. Eu não estava lá, claro, mas Billy Monk registrou tudo com sua câmera fotográfica, em um rico acervo que poderia ser chamado de “vergonha alheia” ou, o mais realista, “quem nunca?”. As pessoas não estão…

Torcer vale a pena

Só quem já vibrou ou chorou em uma partida sabe o que é torcer de verdade. Não quem diz que torce, mas não fica, nem um pouquinho, chatiado quando o time perde ou está em uma má fase. Torcer vai muito além do racional. A gente pode até assumir que o time está ruim, mas…